Pledge 1% – Como a e-Core trabalha em equipe para fazer a diferença

7 outubro 2016 | Notícias

Quando recebemos o chamado para participarmos da iniciativa Pledge 1%, os líderes da e-Core perceberam que isso seria mais do que apenas uma chance de fazer o bem em nossas comunidades, mas também uma oportunidade para inspirar nossas equipes a trabalhar juntas para fazer o bem.

 

“Seja a mudança que você quer ver no mundo. ”

– Ghandi

Começando a trabalhar como um time

Nosso primeiro projeto começou em um pequeno centro comunitário, a “Casinha”, um local para crianças em situação de pobreza em uma área nos arredores de Porto Alegre. Como o maior escritório e principal centro de entrega de serviços é localizado na cidade, fazia sentido para nós começarmos por lá. Durante a nossa primeira visita ao centro, nós percebemos que haviam vários bons computadores que ainda não haviam sido configurados ou usados.

Nossas equipes técnicas sabiam que a melhor forma de começarem a ajudar seria através da configuração de uma estação de computadores e colocá-los num mesmo ambiente. Após configurarem a sala de computação, nossos times começaram a promover aulas de informática para as crianças após a escola.

Márcio Silveira, CEO da e-Core e Paulo Machado, Coordenador de Infraestrutura de TI, com as crianças no laboratório de informática

Essa pequena ideia se transformou na dedicação para melhorar a casa em diversas áreas, incluindo a promoção de aulas de música, a organização de partidas de futebol e, eventualmente, arrecadação de fundos e a pintura de toda a casa. Nossos colaboradores transformaram um pequeno projeto em uma parceria contínua que inclui eventos mensais na Casinha.

A medida que os times brasileiros se tornaram mais envolvidos, a inspiração se espalhou para nossos outros escritórios no Estados Unidos. Ao escolher o problema do combate a fome local, os escritórios de Tampa, na Flórida, e Nova Iorque, começaram a trabalhar em bancos de alimento e abrigos, embalando e entregando refeições saudáveis para famílias que passam por necessidades. Passados apenas 5 meses, nosso time, que inclui 4 escritórios globais, completou mais de 190 horas de voluntariado em 4 diferentes organizações.

Minha história

Minha jornada pessoal com o programa Pledge 1% começou quando me juntei ao comitê da e-Core para dar um retorno à comunidade. O primeiro projeto em que trabalhei foi com alguns colegas no centro de distribuição de alimento em Tampa, onde estocávamos comida para distribuir. Após esse pequeno esforço, eu sabia que poderia fazer mais pelas pessoas que passam por necessidades.

Meu marido e eu começamos a conversar sobre o que poderíamos fazer para ajudar uma vila que visitamos anos atrás em Las Salinas, Nicarágua. Como a maioria dos países subdesenvolvidos, apenas 20% da população da Nicarágua tem um acesso consistente à água potável. A água contaminada afeta principalmente as crianças, muitas vezes levando elas a perderem meses de aula e/ou a sérias condições médicas.

Foi aí que soubemos que poderíamos causar um impacto positivo. Através do trabalho do meu marido na América Central nos últimos 9 anos, nós havíamos comprado três sistemas de água, simples, pequenos e bem efetivos. Um desses pequenos sistemas poderia fornecer água tratada para mais de 70 casas ou uma escola inteira, em uma comunidade qualquer.

Com nossas mochilas de expedição, os sistemas e a nossa determinação para fazer a diferença, nós partimos para Las Salinas para passar toda a semana. Trabalhando como um time, com alguns amigos em Las Salinas, nós fomos apresentados para Erno, o diretor de sete escolas e Martita, a diretora da clínica médica local. Em menos de uma hora, nós treinamos ambos em como usar os sistemas em cada um dos locais.

Martita nos explicou que todo o mês ela viaja para vilas ainda mais afastadas para realizar check-ups e educar as famílias com relação a saúde. Ela estava entusiasmada em trazer os sistemas de abastecimento de água com ela para promover uma solução para as crianças e mulheres grávidas que estavam desesperadas devido a necessidade de água potável.

A esperança deles para com a comunidade era visível, à medida em que risos, abraços e lágrimas foram compartilhados ao longo dos dias. Nós percebemos que juntos, cada um detinha uma pequena peça do quebra-cabeça para fazer esses sistemas de água chegarem onde eles eram necessários e trazer água potável para milhares de pessoas.

Doar à comunidade é uma forma de trabalho em equipe

Minha história é apenas uma das muitas histórias compartilhadas pela e-Core, em que as pessoas agem juntas, como times ou indivíduos, para fazerem um impacto positivo ao redor do mundo. O programa Pledge 1% tem oferecido a oportunidade para que nossas equipes possam interagir de uma nova forma, já que pessoas de diferentes departamentos se unem para impulsionar seus esforços. Engenheiros de suporte, Analistas de RH, Times de TI e executivos juntos, lado-a-lado, ajudando a quem precisa.

Aqui estão algumas formas do seu time começar:

  • Apenas comece! Assim que fizemos o Pledge, nós criamos um comitê com apenas quatro pessoas para implementar o programa em toda a companhia. Nosso primeiro projeto se constitui em alguns membros da equipe que apresentaram para as crianças da Casinha como utilizar o Google para ajuda-los nas tarefas de casa. Não precisa ser uma grande ideia para fazer um grande impacto na vida de outras pessoas.
  • Crie formas fáceis de seus colaborados se envolverem. Dê alguns exemplos de lugares para eles se voluntariarem e faça com que eles se candidatem de uma forma fácil. Nós usamos o JIRA para pedir as permissões, aprovar e monitorar as horas de voluntariado.
  • Crie uma cultura de compartilhamento de experiências. Nós pedimos aos nossos times que compartilhassem suas histórias no Confluence. Os times estão motivados a encorajar cada uma das outras equipes em como dar de volta.

 

Allison Riggs é Gerente de Marketing Global na e-Core.

Esse post faz parte da campanha #TeamUp4Good da Atlassian. Leia o post original aqui.

Leia mais em:

Atlassian Executive Forum – Review

Na última terça-feira, dia 26, e-Core e Atlassian promoveram mais uma edição do Atlassian Executive Forum. O evento tem como objetivo reunir CIOs e Líderes que utilizam as ferramentas Atlassian, gerando o compartilhamento de boas práticas e soluções que tornam equipes...

Retrospectiva 2018: um ano para ficar na história

Expansão da e-Core Não poderíamos terminar o ano de 2018 sem falar em expansão. Desde março de 2017, quando a e-Core expandiu o espaço da sua matriz na capital gaúcha, o crescimento seguiu de forma constante. Só neste ano, foram mais três novos escritórios,...

Post-mortem Jira Ops

Post publicado pela Atlassian originalmenteGrandes incidentes são inevitáveis, e consertá-los é a principal prioridade para quaisquer equipes de Operações ou DevOps. Mas o que acontece após o serviço ser restaurado? As equipes aproveitam o tempo para entender...

Share This