De bicicleta para o trabalho: tudo que você precisa saber

19 julho 2016 | Artigos

Lá está você, na parada de ônibus, mais uma vez esperando pelo transporte para o trabalho. Passam 10 minutos, e talvez a ideia de pegar uma lotação não pareça tão ruim. Passam 20 minutos e um Uber parece uma boa opção para não se atrasar para o trabalho. Nesse tempo, já passaram três pessoas pedalando na sua frente. Parece que elas vão chegar no trabalho e você não. 30 minutos e lá vem o busão lotadaço.

Se o pensamento “Eu deveria ir de bicicleta para o trabalho…” já passou pela sua cabeça mais de uma vez, este post certamente é para você!

Vamos reunir nas listas abaixo uma grande quantidade de dicas para ir pedalando para o trabalho. Não são 5 nem 10 dicas. São mais de 40 (!!) dicas para você melhorar sua qualidade de vida, fazer sucesso no trampo e saber exatamente o horário que você vai chegar no trabalho, sem precisar depender daquele ônibus que geralmente atrasa.

Antes da primeira vez

  • Utilize o Google Maps ou outro serviço online para verificar possíveis rotas da sua casa para o trabalho e vice-versa. Atualmente o Google Maps disponibiliza a altitude do trajeto quando você seleciona a bicicleta como meio de locomoção. Assim fica fácil de desviar de subidas muito íngremes;
  • Ao invés de dormir até tarde no domingo, aproveite esse dia mais calmo para conhecer os trajetos escolhidos;
  • Se você não está acostumado a pedalar na rua, evite caminhos por avenidas e ruas com muito trânsito. Ruas menos movimentadas, além de muitas vezes serem atalhos, são mais bonitas;
  • Mesmo que o tamanho do trajeto aumente, dê preferência por ciclovias. Elas são o lugar mais seguro para pedalar;
  • Enquanto pedala no domingo, dê uma olhada nas calçadas, pois elas serão o seu refúgio e seu provável caminho nas subidas;
  • Lembre-se de considerar caminhos curtos que tenham subidas ao invés de caminhos longos e planos.
  • Ou: Lembre-se de considerar a altimetria do trajeto. Talvez pode ser vantagem andar um pouco a mais para passar por menos morros.

Proteção pessoal

  • Use capacete! Sempre. Sem desculpas. E compre um novo após o vencimento da validade do que você está utilizando agora;
  • O uso de óculos, tanto de sol quanto aqueles de EPI, ajudam a proteger os olhos contra a sujeira, chuva insetos e o vento gelado, que no inverno que faz os olhos lacrimejarem e atrapalhar a visão;
  • Para uma proteção extra, utilize luvas que ajudam para proteger suas mãos no caso de quedas, ou para dirigir mais confortavelmente em paralelepípedos;
  • Se for pedalar de calças, cuide para que a barra da perna direita não enrosque na coroa da bicicleta. Soluções habituais para este problema são: pedalar de bermudas, dobrar a calça até o joelho, ou colocar as meias por cima da barra das calças. Alguns inclusive usam elásticos de dinheiro (atilho) para segurar a calça!
  • Uma interessante adição para para sua bicicleta, é um retrovisor. Eles podem ser presos no guidão ou até no seu capacete. Eles auxiliam a você manter uma trajetória reta ao evitar que você vire a cabeça e o tronco para trás para verificar o movimento de carros;
  • Instale luzes na sua bicicleta, principalmente quando pedalar à noite. Luz branca na frente e vermelha atrás. Se elas forem piscantes, ainda melhor pois elas chamam mais a atenção e é esse o ponto de usá-las;
  • Para chamar ainda mais a atenção dos motoristas, coloque adesivos reflexivos no capacete e vista coletes com faixas reflexivas. Roupas com cores claras ou fosforescentes também ajudam.
  • Com o uso frequente, a sua bicicleta sofrerá desgastes, como por exemplo os pneus podem ficar carecas e perder aderência, a sapata do freio (a “borracha” do freio) pode se desgastar e sua frenagem piorar. Ao andar seguidamente em ruas com paralelepípedos alguns parafusos podem se soltar e deixar alguns elementos da sua bike (guidão, pedaleiras, etc.) frouxos. Então lembre-se de não negligenciar a manutenção da sua magrela! Qualquer problema em uma bicicleta pode resultar em uma queda com possibilidade de lesões.

Ao Pedalar

  • Não pedale na rua na contramão! Os pedestres e motoristas não estarão olhando para o lado errado da rua em uma conversão e caso venha a ocorrer um acidente, os machucados serão muito piores;
  • Cuidado ao guiar a bike colado a carros estacionados. As portas podem abrir a qualquer momento e você ser “convidado” a entrar no carro de alguém;
  • Ande sempre na direita da faixa, mas nem tanto. Ao pedalar muito próximo do meio-fio, você não terá espaço para desviar de obstáculos e os automóveis e ônibus poderão te empurrar contra a calçada;
  • Educação é uma via de mão dupla. Respeite para ser respeitado e demonstre que você é um excelente ciclista seguindo todas essas dicas 😉
  • Respeite a sinalização de trânsito. Assim como os carros, pare nos semáforos e aguarde o momento certo para continuar pedalando;
  • Em saídas livres ou esquinas onde muitos carros viram à direita, tome cuidado adicional. De vez em quando, um carro que está na segunda pista vira rápido, porque lembrou disso na última hora ou porque não o deixaram mudar de pista antes. Quando calcula se vai dar tempo, o motorista só analisa os carros que estão vindo, pressupondo que a bicicleta é muito lenta e haverá tempo para passar à sua frente. Por isso, quando vir que muita gente vira em algum lugar à direita, sinalize com a mão que você vai seguir em frente e certifique-se visualmente de que nenhum carro vai virar mesmo assim.
  • Pedestres são imprevisíveis, mais que carros. Eles trocam de pista sempre sem dar sinal, mudam de direção, e, ao verem um ciclista andando rápido, param de caminhar, mesmo que estejam no meio da rua e no caminho previsto para a bicicleta acertar-los (de qualquer forma pedestre tem preferência)
  • Olhe para o chão! No lado direito da rua costumam aparecer coisas que podem te derrubar, tais como tampas de bueiro mal-colocadas, bocas de lobo, galhos que caíram da última ventania, ou mesmo algum lixo (p.ex. garrafas ou sacolas cheias de sabe-se lá o que)
  • Sinalize seu caminho para os motoristas
  • Ao pedalar na calçada, respeite o pedestre. Desça da bicicleta se necessário.
  • Se estiver em uma subida e cansado, vale pedalar em zigue-zague, desde que a via permita. Mais dicas sobre como encarar subidas veja em http://vadebike.org/2005/08/pedalando-nas-subidas/
  • Antes de toda pedalada, teste os freios, a troca das marchas, verifique se os pneus não estão murchos e procure por peças frouxas.

Sem chuveiro no trabalho, como eu faço?

  • Pedale devagar para evitar o suor logo no início do trajeto;
  • Aproveite os declives leves para se arejar e não para pedalar mais rápido;
  • Faça paradas após longos trechos em que você pedalou sem parar. Diante de subidas ou trechos muito complicados, desça da bicicleta e vá empurrando ela;
  • Observe os tempos das semáforos antes de chegar nelas para não ficar muito tempo parado;
  • Refrigere-se vestindo roupas leves e que permitem boa circulação de ar;
  • Ao invés de levar uma mochila nas costas, área que ficará suada rapidamente devido à falta de ventilação, instale e use um bagageiro para levar roupas/toalhas para serem usadas ao chegar ao seu destino;
  • Tome um banho em casa antes de sair pedalando;
  • Leve água gelada para refrigerar o corpo de dentro para fora;
  • Ao chegar no trabalho, faça a troca completa da roupa. Isso inclui a troca da roupa íntima;
  • Se possível, considere sair um pouco mais cedo de manhã;
  • Ao definir o trajeto considere os locais onde tem mais sombra (prédios altos ou árvores).

Dicas nível Master

  • Coloque-se no lugar de motoristas e pedestres. Pense antes de agir, de modo que todos possam se beneficiar do seu pedalar;
  • Não está fazendo outros exercícios além de pedalar para o trabalho? Então isso pode virar o seu treino! Seu caminho de volta para casa, e um chuveiro, pode ser mais rápido e sem tantas paradas quando você já se sentir confiante de pedalar na rua. O ritmo da pedalada pode ser muito mais forte que o normal;
  • Você pode usar o final de semana, e o espaço aberto de um parque, para conhecer melhor sua bicicleta e exercer melhor controle sobre ela. Aprender a empinar, experimentar freadas bruscas, como passar por buracos ou obstáculos grandes, e no que mais você quiser se aventurar!
  • Faça parte de grupos de pedalada, que acontecem à noite ou durante o final de semana;
  • Ocupe o espaço de um carro na faixa, como os motociclistas deveriam fazer também. Isso força os motoristas a ultrapassarem você como um carro de verdade, ao invés de te empurrarem contra o meio-fio;

Links legais

Para quem mora em Porto Alegre

Referências

Autores

  • Carlos Castilho, Analista de Qualidade na e-Core
  • Daniel Arenhart, Engenheiro de Software Automatizado na e-Core
  • Gustavo Mauch, Desenvolvedor Sênior na e-Core
  • Rodrigo Saling, Desenvolvedor Web na e-Core

Leia mais em:

6 Dúvidas Comuns na Hora do Licenciamento

Sabemos que na hora da compra e/ou renovação de licenças do Jira, Confluence ou outra ferramenta Atlassian, surgem algumas dúvidas. Com a intenção de ajudar você a solucionar algumas delas, escolhemos as principais questões abordadas nesse momento. São necessárias...

Post-mortem Jira Ops

Post publicado pela Atlassian originalmenteGrandes incidentes são inevitáveis, e consertá-los é a principal prioridade para quaisquer equipes de Operações ou DevOps. Mas o que acontece após o serviço ser restaurado? As equipes aproveitam o tempo para entender...

O Futuro dos Roadmaps

A Atlassian divulgou as mudanças feitas no Jira Software Cloud para trazer uma nova experiência para os usuários. Confira o que mudou e como as novas funcionalidades podem beneficiar seu desenvolvimento de software.

Share This